A cabeça de um ateu

por mvallebr.

Eu tentei abordar esse assunto quando estava começando esse blog, mas creio que não fui muito feliz na postagem. Não por ter dito algo que me arrependa, mas por ter deixado o post muito grande e sem objetividade. Esse assunto, porém, precisa ser abordado aqui pois o meu blog existe justamente para isso, para que quando alguém me perguntar na rua o porque eu sou contra religiões eu não precise ficar repetindo tudo isso de novo, posso simplesmente passar o link do blog. 

Vamos ver se consigo ser mais competente dessa vez. :D

Introdução

Algumas vezes, quando o assunto religião entra em pauta numa conversa entre eu e pessoas religiosas, eu costumo ouvir o argumento de que a religião é necessária, pois sem ela a humanidade seria muito pior, as pessoas não teriam porque serem boas, não teriam no que se apoiar em momentos difíceis, etc. Claro que eu respeito a escolha de cada um, mas por vezes as pessoas ficam interessadas em saber como pensa um ateu, pois não conseguem entender o que se passa na cabeça de um. Tem gente que tem tanta dificuldade em entender isso que diz que ateu não existe, pois não consegue conceber a ideia de que uma pessoa consiga viver sem religião.

No meu caso, creio que isso deva acontecer ainda mais, pois a coisa que mais costumo ouvir de amigos é "tudo bem, você é ateu mas tem Deus no coração". Acho que as pessoas que convivem comigo acabam percebendo que não sou nenhum assassino nem muitas das coisas ruins que possivelmente alguém tenha falado para elas sobre ateus na igreja, então num ato de gentileza, me dão essa resposta. 

Eu não nasci ateu. Eu me tornei um e isso não ocorreu por um acaso. Quando digo isso, ouço dos meus amigos palavras me incentivando a não deixar de ser bom, para voltar a acreditar em Deus e em tudo aquilo que Deus representa na vida das pessoas. É compreensível que essas pessoas pensem assim, pois eu mesmo tive essa visão um dia. Hoje essa visão mudou e espero ter competência o suficiente nessa postagem para explicar o porque penso diferente hoje e porque acho que essas pessoas estão erradas. 

Antes de tudo, quero adiantar algo: não me tornei ateu por achar que estou "deixando o caminho do bem", muito pelo contrário. Após filosofar muito, descobri que as coisas são o contrário do que parecem e creio estar muito mais no "caminho do bem" agora que antes. Descobri que o caminho do bem é na verdade um só: o conhecimento. 

Religião x Mensagens subliminares

Definição: "Diz-se de algo que atua de forma indireta no subconsciente das pessoas de modo a atingir o objetivo desejado , em suas consciências"

Você já parou para pensar no número de coisas que fazemos e nunca questionamos? Por exemplo, você se lembra de quando aprendeu a falar? Foi tão fácil aprender sua linguagem nativa e costuma ser tão difícil aprender outra, não é mesmo? Mas você não aprendeu a falar a toa, pessoas ao seu redor falavam em uma determinada linguagem e seu cérebro assimilou aquilo. Hoje, você fala naturalmente e tem palavras como corretas para cada tipo de situação, mas não pára para pensar em como falar ou em que palavra utilizar, simplesmente utiliza as palavras e fala.

Da mesma forma, muita coisa que aprendemos nos é ensinada como correta desde que somos crianças e assimilamos isso como correto. Recebemos diversas influências e as assimilamos sem perceber e nunca paramos para questionar se aquilo que aprendemos é realmente válido ou não.

Esse é o principal motivo pelo qual as pessoas defendem sua religião, inclusive. Desde sempre, recebemos mensagens subliminares nos dizendo o que é correto. Passamos a assumir isso como correto. A partir daí, passamos a gostar da ideia de que isso seja feito também com outras pessoas, pois enviar mensagens subliminares para a mente delas dizendo algo correto é bom. 

Vou dar um exemplo para ficar mais claro. Você aprendeu quando criança que não ser egoísta é correto. Você passa a achar que isso é correto, então acha certo passar a mesma mensagem para os outros, pois isso é algo bom, na sua visão. Mas alguma vez você já se questionou se realmente não devemos ser egoístas? Você realmente ACHA isso, pensou nisso, questionou, concluiu racionalmente que isso é bom, ou acha isso óbvio demais para ser discutido? É algo que aprendemos desde sempre, é como se fossemos questionar se a palavra X significa mesmo o que pensamos que significa. 

Qualquer religião parte desse princípio, ela ensina coisas através de mensagens subliminares e teoricamente ensina as melhores mensagens. Dessa forma, mesmo que uma pessoa não questione o suficiente em sua vida para concluir que ela deva ser boa com as pessoas (uma das mensagens subliminares), ela receberá essa mensagem pronta, de forma que isso fará bem para a sociedade como um todo, afinal é melhor que todos sejamos bons, não é mesmo? Pelo menos essa é a mensagem subliminar que nos foi passada, não é mesmo? 

Já pensou se todo mundo começar a questionar tudo, como é que vai ser? Então se a pessoa não teve muito acesso à educação e nasceu em uma situação difícil vai achar a vida injusta e começar a roubar e matar, já que ela não recebeu o ensinamento (subliminar) de que isso é errado.  Então um rapaz que sentir desejo por outros homens irá se tornar um homossexual, já que não aprendeu que isso é errado. Concorda? 

Bom, a ideia realmente parece boa e me enganou por muito tempo. Contudo, até o final do artigo pretendo mostrar porque isso é na verdade o contrário do que parece e como isso consegue piorar a vida de todos nós. Ao ler, peço que tente ter a mente aberta e questionar um pouco se aquilo que você sempre tomou como certo não pode ter sido uma mensagem errada que foi enfiada na sua cabeça. 

Se você estiver com medo de continuar a ler pois não quer ler algo que possa tirar sua fé e você se sente confortável com ela hoje, não tem problema. Contudo, saiba que essa dúvida também já passou pela minha cabeça, eu continuei questionando e procurando a verdade e não me arrependo nem um pouco. Hoje, creio que o conhecimento me deixa numa posição de muito mais conforto que fé, pois o medo sumiu e sobrou a luz que me permite enxergar as coisas de forma clara, com segurança.

Mensagens subliminares religiosas

Quando pensamos no que aprendemos na igreja, normalmente associamos com coisas boas. Vou colocar abaixo mensagens que eu vejo religiões passando e porque eu acho isso. Muitas dessas mensagens você pode vir a achar corretas. Peço apenas que questione se isso foi realmente algo que você concluiu após pensar bem a respeito ou se é algo que foi doutrinado a pensar na igreja ou por influência de pessoas que frequentam grejas.

Intolerância

A religião passa a ideia de que existe um caminho do bem e um caminho do mal. A ideia de céu e de inferno serve justamente para fixar essa ideia, para dizer que algo é bom e deve ser seguido e que existem o caminho errado que você não deve seguir de jeito nenhum, ou então vai para o inferno. Ao dividir as coisas entre certas e erradas, fica impossível aceitar uma ideia diferente da sua. Como você vai aceitar que um Inca ame outro Deus, se você tem como CERTO que o Deus é só esse que existe para você? 

Como você vai aceitar que uma pessoa se torne gay, sendo que isso é errado e te é ensinado que essa pessoa vai queimar no inferno por isso? Se uma pessoa diz para outra que ela acha correto ser gay, você apenas discordará ou pensará mal da pessoa por estar ensinando algo errado para a outra? Como você aceitará que outras pessoas possam ter ideias diferentes das suas, igualmente corretas e que não prejudicam a sociedade, se você tem algo como absoluto correto, com a ideia de que existe uma e somente uma verdade? Como você vai aceitar que uma pessoa não acredite em Deus se você aprende que quem faz isso vai queimar no inferno? Aliás, como você vai considerar a ideia de que deus não existe se você olha para o lado e vê intolerância para todo lado?

Quando os espanhóis vieram para a América, eles acabaram com o império Inca, em um dos grandes genocídios da história. Se quiser conhecer mais sobre isso, pode ver esses vídeos:  

Você já parou para pensar no porquê de a Espanha da época, país 99% católico, praticou tal genocídio? Se as pessoas aprenderam que elas deveriam ser boas com as outras, se receberam todas as boas mensagens subliminares que achamos corretas, porque algo assim ocorreu? Elas não tinham aprendido que matar é errado? Elas não tinham aprendido sobre o livre arbítrio e que é Deus quem julga as pessoas e não os homens? Então por que? 

A grande verdade é que somos limitados demais para saber muito além do que a ciência já descobriu e não existe verdade absoluta. Seria melhor pensar que devemos nos comportar da melhor maneira possível de forma que uma convivência em sociedade seja o mais harmoniosa possível. Ocorre que para uma harmonia em sociedade, é necessário justamente, acima de tudo, tolerância. 

As pessoas não tem que aprender a seguir o que é "certo", pois o certo muda de pessoa para pessoa, de cultura para cultura, de região para região. As pessoas precisam aprender a tolerar ideias diferentes das suas e a respeitar a liberdade individual umas das outras. Se você não está incomodando ninguém com o que está fazendo, direta ou indiretamente, ninguém deveria meter o bedelho nisso. Ao passar a ideia de que o certo é algo conhecido, encontra-se o pressuposto para não permitir o errado.

A partir do momento em que existe intolerância em uma sociedade, normalmente ocorre de haver muito mais conflitos, dentre eles roubos e mortes.

Hierarquia

Você acha normal ter um chefe? Existe organização sem um chefe? É natural uma pessoa mandar em outra? Alguma coisa muito elaborada pode existir sem que haja um criador, um responsável único por aquilo? Se você costuma ir sempre a igreja, provavelmente acha perfeitamente natural a ideia de autoridade, acha isso necessário e acha impossível que organizações sem um chefe possam ser ao mesmo tempo grandes e organizadas. 

Essa mensagem não é passada para sua cabeça a toa. Estudando um pouco sobre o assunto, pude verificar que uma hierarquia e a figura de uma autoridade não depende da capacidade de coerção física e sim das pessoas reconhecerem alguém ou algo como figura de autoridade, como um chefe, um governo, um chefe de família, um diretor, etc. 

A partir do momento em que é passada a mensagem de que existe um criador superior aos homens, que os homem devem ser humildes e temer a ele, que devem respeitar e obedecer a esse ser superior sem questionar, é tornado natural para o recebedor da mensagem que um ser mande no outro. Fica fácil demais estabelecer relações hierárquicas, o que tornou a igreja, historicamente, o maior aliado de ditaduras. 

Para que não surja a ideia de que os humanos podem se organizar em conjunto sem a dependência de um chefe, é embutida também a ideia de que o chefe é absolutamente necessário, um mal necessário se for um mal, e que não é possível organizações grandes acontecerem sem a centralização de poder. 

Se você por um acaso acha que sua igreja, qualquer que seja, não tem como base a ideia de hierarquia, pergunte a si mesmo como é a relação de padres/pastores. Existe uma cadeia hierárquica entre eles, com um papa central como o governador da igreja? Existe alguma figura de máxima autoridade a quem devemos temer?

Existe um livro muito bom sobre isso, para quem tiver mais interesse: Deus e o Estado - Mikhail Bakunin

Culpa e Submissão

Vamos supor que você não conseguiu resistir aquele doce de leite delicioso que foi servido durante o almoço. A culpa disso é sua. Não é o fato de ser difícil resistir, de ser bom, gostoso. Você é quem está fazendo algo errado, contra a vontade de deus. Sexo? Não consegue ficar sem? É pecado. 

Esse sentimento, alimentado diversas e repetidas vezes, passa a ideia de que nós somos os culpados sempre que algo errado acontece. Isso torna mais fácil a aceitação de uma autoridade e nos faz pensar que somos incapazes de realizarmos algo corretamente. Os seres humanos são imperfeitos por natureza e não conseguem ser perfeitos, mas devem tentar se aproximar ao máximo daquilo que é considerado o "correto", por mais que seja difícil fazê-lo.

Já percebeu que sempre que algo de bom acontece foi por conta de deus e sempre que algo de ruim acontece a culpa é sua ou daqueles que vão para o inferno? A medicina com a qual podemos contar hoje é mérito total da ciência e ainda assim, quando um médico salva um paciência, foi deus quem salvou. Não foram os anos que o médico ficou estudando nem o fato de que boa parte do conhecimento que ele pode utilizar para curar o paciente, entre eles o funcionamento de vários remédios, vai contra vários ensinamentos religiosos. Foi deus. Deus quis. 

Já que não conseguimos, resta nos ajoelharmos e pedir ajuda, pois somos incapazes, incompetentes e não conseguimos tomar atitudes a respeito. Nos tornamos submissos, aceitamos a realidade da forma como é nos passada e sempre apelamos a autoridade para resolver nossos problemas.

Como fazer? Pergunte ao chefe. Ele não tem a resposta, perguntem ao chefe dele, ao chefe do chefe, etc. Ninguém tem a resposta? Olhe para o céu e peça a ajuda de deus. Se conforme. 

Assim é essa mensagem passada nas religiões.

Eu prefiro passar a mensagem abaixo:

Até quando esperar e se ajoelhar esperando a ajuda de deus? Quando as pessoas vão acordar e parar de aceitar as palhaçadas feitas pelos governos, por empresas, por quem quer que seja? Será que isso é algo bom de ser ensinado para as pessoas? É isso que é necessário para que "as pessoas sejam boas"?

Alienação

Sem dúvida nenhum, esse é o pior dos males causados pelas religiões. Para manter seus fiéis e por passar a ideia já pronta de conhecer o que certo e errado, nenhuma religião te diz para conhecer outras ideias. Nenhuma religião te diz para questionar, para pensar, filosofar. O certo existe e é o que estão te passando, já pronto, para que você não tenha trabalho, então não há porque tentar descobrir um certo, apenas siga os ensinamentos. 

Mesmo que você ache os ensinamentos que sua religião passa corretos, você acha correto que as pessoas não tentem questionar? Acha que elas não devem pensar por si mesmas? Muitas pessoas acham que alguns seres humanos são incapazes e nunca conseguirão pensar sozinhos, então é melhor que a religião dê a essas o ensinamento pronto. Mas já ocorreu que você pode pensar assim e a própria pessoa pode se achar incapaz por conta dos ensinamentos religiosos? 

Uma opinião não pode ser formada apenas com uma influencia. Formar opinião se difere de receber a opinião pronta exatamente nesse ponto: quando você defende uma ideia como correta porque alguém te disse ou porque deus quis que fosse daquele jeito, você simplesmente não tem opinião e sim segue o que o padre está te orientando a fazer. 

A única forma de ter uma opinião própria, sem depender de alguma autoridade para te dizer o que é certo ou errado, é tendo contato com vários pontos de vista distintos, pensando muito no assunto, questionando, assumindo a possibilidade de estar errado e assumindo a possibilidade de conhecer coisas novas. 

Isso vai completamente contra qualquer ensinamento religioso. Você acha que eu, como ateu, sairia vivo se entrasse numa igreja e questionasse as ideias ali passadas? Ali você aprende a obedecer, não a pensar. 

Emoção acima da razão

Como fazer para que pessoas abracem uma ideia, a tomem como verdade sem a necessidade de uma bela explicação racional por trás disso? Coloque uma música comovente por trás, comece a citar casos emocionantes e quando as pessoas estiverem mais emocionadas, estarão mais suscetíveis a abraçar qualquer ideia que você quiser empurrar. Isso funciona não só com a religião, mas com qualquer mídia. Uma música pode te convencer a gostar da letra porque a melodia é muito boa, um filme pode te convencer de algo errado porque te emocionou em algumas cenas, até uma poesia ou um livro pode te convencer de algo pelo romantismo.

Em qualquer religião, isso é levado ao extremo. As religiões foram as precursoras da propaganda, elas te vendem um produto melhor que qualquer comercial de TV. E da mesma forma como acontece nos comerciais de TV, ninguém quer que você pense muito sobre A ou B, só querem que você compre o produto. 

Para isso, existe claramente uma valorização da emoção acima de tudo, como se o sentimento de bondade que você sente quando vê alguém feliz fosse mais importante que pensar a respeito. Tem pessoas que ficam com raiva de quem vem colocar argumentos racionais em cima de algo comovente. Uma vez um caminhão quase bateu no meu carro no natal e eu reclamei. O motorista ficou nervoso porque o Natal era uma época para ter sentimentos bons e eu não deveria "semear a discórdia" nessa época. 

A igreja é o local onde as pessoas vão, por conceito, para se emocionar e para "aprenderem" a amar uns aos outros. Essa é uma péssima mensagem para ser passada, já que agir pela emoção e deixar de pensar é normalmente o que nos faz tomarmos atitudes que nos causarão arrependimento depois. Pensar é bom e deve ser incentivado. Mas nas igrejas eu vejo incentivarem justamente o contrário.

E se não existir um deus?

Quando eu comecei a me questionar sobre tudo isso dito acima, no início me dava um certo calafrio. E se não existir um deus? Então eu tenho vivido em uma mentira? Como vou fazer quando alguém morrer? Então eu não devo mais ser bom com as pessoas? Eu achava que isso era correto, mas uma vez que passo a questionar se o correto é realmente correto ou se simplesmente foi algo embutido na minha cabeça, será que eu devo continuar sendo bom?

Eu cheguei a conclusão de que eu posso continuar com todo o conforto que tenho com ou sem um deus. Conforto é puramente psicológico, não é necessário acreditar em qualquer divindade para poder chorar ou me consolar num velório, não preciso de um deus para realizar ações comunitárias, eu posso fazer as coisas por mim mesmo. 

O início foi um pouco mais difícil, pois a cabeça da gente não muda da noite para o dia. Mas aos poucos, fui me permitindo pensar diferente, comecei a questionar coisas quando estava sozinho e quando saberia que não haveria ninguém vendo, ninguém para julgar, comecei a pensar nas coisas que me diziam para nunca pensar, comecei a considerar as ideias que eram ditas para mim como absurdas e que me levariam para o inferno, etc. 

Aos poucos, fui me sentindo cada vez mais livre, com menos medo, minha vida passou a ficar cada vez melhor. No caso, me tornei ateu quando estava cursando o colegial e minhas ideias foram evoluindo desde então. O vídeo abaixo passa uma ideia que considero válida sobre os estágios que uma pessoa passa até chegar ao ateísmo.

Depois de um bom tempo, mais convicto de que eu tinha entendido como as coisas funcionam e como a noção de deus e de religiões prejudicam o mundo, passei a tentar explicar isso para as outras pessoas, pois assim eu estaria ajudando as mesmas a enxergar a mesma coisa que eu vi. Foi aí que aprendi a duras penas o que acontece com uma pessoa de um olho que tenta avisar para os outros em uma terra de cegos como é enxergar, como é poder ver as coisas de forma esclarecida, sem a escuridão da fé. 

Uma das principais mensagens subliminares passadas para os religiosos é para que eles furem os olhos de quem faz isso. Espero que você, após ler esse texto, entenda que minhas intenções são as melhores e não tente fazer isso comigo.

Que a luz cruze nosso caminho. Tudo de bom pra vocês!